SERRAS CIRCULARES HSS – LINHA DIAMOND

Estas lâminas não possuem revestimento e são empregadas principalmente em máquinas de corte manual  e de corte semi-automático. São ideais para corte de perfis, maciços redondos e quadrados de materiais não ferrosos.

APLICAÇÃO
Alumínio, bronze, cobre, latão e plástico.

Durabilidade

Dureza Superficial <800 HV Temperatura de Oxidação 750 ºC
Coeficiente de atrito 0,25

As serras Chrome Diamond possuem um inovador tratamento de PVD que oferece desempenho muito maior da ferramenta. Os excelentes resultados obtidos na usinagem a seco provam que a performance desta ferramenta oferece muito mais ganhos de produtividade.

APLICAÇÃO
Aços de médio e alto carbono; Aço Inox; Aços duros e altas velocidades de corte.

Durabilidade

Dureza Superficial 3.200 HV
Temperatura de Oxidação 1.100 ºC
Coeficiente de atrito 0,35

Este tratamento PVD aumenta a estabilidade das arestas de corte da ferramenta. A dureza elevada do revestimento proporciona uma proteção excelente contra o desgaste abrasivo e da erosão. É adequada para o corte de materiais com elevada carga de ruptura e aços inoxidáveis. Criada para satisfazer as exigências das velocidades de corte elevadas, graças inclusive ao baixo coeficiente de atrito.

APLICAÇÃO
Aços de baixo, médio e alto carbono; Aço Inox; Ferro fundido; Aços duros e altas velocidades de corte.

Durabilidade

Dureza Superficial 3.300 HV
Temperatura de Oxidação 900 ºC
Coeficiente de atrito 0,25

SERRAS CIRCULARES HSS – LINHA RUBY

A lâmina Ruby, sem tratamento superficial, garante um melhor desempenho para corte não ferroso, uma vez que as características do Aço HSS M35 garantem maior tempo de vida para a ferramenta.

APLICAÇÃO
Alumínio, bronze, cobre, latão e plástico.

Durabilidade

Dureza Superficial <800 HV Temperatura de Oxidação 750 ºC
Coeficiente de atrito 0,25

As lâminas Chrome Ruby têm um inovador processo de PVD, que combinado com Aço HSS M35, proporciona um melhor desempenho à ferramenta. Os excelentes resultados obtidos na usinagem a seco, provam que a performance desta ferramenta oferece muito mais ganhos de produtividade.

APLICAÇÃO
Aços de médio e alto carbono; Aço Inox; Aços duros e altas velocidades de corte.

Durabilidade

Dureza Superficial 3.200 HV
Temperatura de Oxidação 1.100 ºC
Coeficiente de atrito 0,35

Este revestimento aumenta a estabilidade das arestas de corte da ferramenta. A dureza elevada do revestimento e os benefícios do Aço HSS M35, permitem uma melhor proteção da lâmina contra o desgaste abrasivo e à corrosão. Desenvolvida para suportar altas velocidades de corte devido ao baixo coeficiente de atrito, a Linha Black Ruby é ideal para o corte de materiais com uma carga de ruptura elevada e para aços inoxidáveis.

APLICAÇÃO
Aços de baixo, médio e alto carbono; Aço Inox; Ferro fundido; Aços duros e altas velocidades de corte.

Durabilidade

Dureza Superficial 3.300 HV
Temperatura de Oxidação 900 ºC
Coeficiente de atrito 0,25

Revestimento PVD

O PVD – Physical Vapor Deposition – é uma tecnologia utilizada para a deposição de filmes metálicos nos sobre diversos tipos de substratos. O processo é realizado sob vácuo onde os metais a serem depositados (zircônio, titânio, cromo) são evaporados. Graças a energia cinética e ao diferencial de potencial aplicado sobre a peça a ser recoberta, os íons metálicos são atraídos para a superfície do objeto a ser recoberto, onde se condensam, juntamente com um gás de processo, formando o revestimento desejado.

O PVD é indicado para produtos inovadores e que necessitam atender elevados padrões tribológicos (resistência a abrasão, a riscos, à corrosão e dureza superficial). A qualidade no revestimento de PVD da Sul Corte contribui significativamente para superar todas as expectativas. Com um método de trabalho voltado para alcançar a excelência máxima em todas as etapas do processo fabril. Em cada tipo de revestimento, está o resultado de anos de experiências em todos os processos de corte, na busca dos mais altos índices de qualidade existentes no mercado.

  • Maior durabilidade da ferramenta

  • Maior desempenho da máquina

  • Redução do tempo de máquina

  • Melhora na qualidade da peça cortada

Medidas do Revestimento PVD

Cada revestimento produzido pela Sul Corte possui características próprias para atender exigências específicas de cada tipo de corte. Com o revestimento de PVD, as lâminas passam a oferecer uma excelente resistência ao desgaste e à temperatura, proporcionando um considerável aumento na dureza. Isto resulta em um desempenho melhor da ferramenta. Para isto, é necessário a aplicação do revestimento na proporção ideal conforme o diâmetro da lâmina.

Composição e Matéria-Prima

Para que o resultado nal do produto seja o melhor possível, cada detalhe é muito importante. Por isso a Sul Corte busca as melhores matérias-primas. A correta composição do aço utilizado nas lâminas HSS resulta na melhor performance da ferramenta, isto requer altos teores de tungstênio e molibdênio, responsáveis pela dureza e resistência ao desgaste. A composição química do aço HSS contém muitos elementos, cada qual com suas propriedades especicas, tanto químicas quanto físicas.

Os elementos presentes na composição do aço rápido são: cromo, tungstênio, vanádio, e em proporções menores cobalto, molibdênio e alumínio. A combinação correta destes elementos resulta na alta qualicação de suas propriedades mecânicas, como resistência as altas temperaturas de corte, dureza, resistência ao desgaste e tenacidade. Um maior teor de carbono aumenta a força da liga, proporcionando maior resistência ao desgaste. Já a presença de cromo pode retardar significativamente a oxidação, evitando assim danos mecânicos ou químicos para a ferramenta. O molibdênio por sua vez, contribui para deixar o aço mais tenaz evitando a quebra da ferramenta.

O Aço HSS Tungstênio-Molibdênio possui características mecânicas elevadas e com ótima tenacidade. Em sua composição destacam-se os elementos molibdênio (Mo) que contribui para oferecer resistência mecânica à lâmina e o tungstênio (W) que é um dos responsáveis pela tenacidade da ferramenta e aumentar a resistência a altas temperaturas. O vanádio (V) por sua vez, contribui para melhorar a resistência ao desgaste.

Tipos de Dentição e Aplicações

TIPO A

Estas lâminas não possuem revestimento e são empregadas principalmente em máquinas de corte manual  e de corte semi-automático. São ideais para corte de perfis, maciços redondos e quadrados de materiais não ferrosos.

TIPO B

O dente tipo B é normalmente utilizado para tubos de paredes finas e corte de perfis estruturais, especialmente onde a remoção de cavaco não é um problema.

TIPO AW

O dente tipo AW, ao contrário do tipo A é alternadamente chanfrado, otimizando assim, a quebra do cavaco. É particularmente adequado para o corte de precisão.

TIPO BW

O dente tipo BW é usado principalmente para o corte de tubos e perfis. O dente é alternadamente chanfrado a 45 °, quebrando o cavaco em duas partes e garantindo uma boa saída dos cavacos.

TIPO C

O dente tipo C é usado para seções sólidas ou tubos de parede muito grossa. O cavaco é quebrado em três partes. Um dente um pouco mais alto, com dois chanfros, um em cada lado, é responsável pelo pré corte. O próximo dente, sem chanfro, é responsável pelo acabamento.

TIPO BS

O dente tipo BS foi desenvolvido para o corte de tubos. Possui o dobro do número de arestas de corte garantindo maior número de cortes e melhor acabamento para a seção. Melhora a durabilidade da ferramenta em cerca de 20%, pois reduz a seção removida por cada passagem da lâmina.

TIPO VP

Produto exclusivo da Sul Corte, o dente tipo VP tem passo variável, é usado para cortar seções muito irregulares que causam vibrações e ruído. Garante um contato mais suave e oferece uma ótima relação entre a durabilidade e a vibração reduzida.

Geometria do Dente e Ângulos de Corte

A escolha do ângulo ideal e tipo de dentição específica é muito importante, pois está totalmente ligado com as exigências de acabamento e durabilidade da ferramenta. Para facilitar a escolha ideal para seu processo a Sul Corte desenvolveu os parâmetros ideais conforme sua necessidade. Abaixo segue a geometria correta do dente de uma serra circular HSS e suas características principais em relação a dentições mais utilizadas (BW, C, BS), as medidas dos seus ângulos de corte e de escoamento, referente aos materiais mais comuns.